Como funciona o Tesouro Direto? Conheça seus títulos e como investir!

Para saber o que é e entender os tipos de títulos diretos do Tesouro é essencial para investidores iniciantes. Leia o artigo e saiba como investir!

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais comuns no Brasil, principalmente na carteira do investidor iniciante.

No entanto, é importante entender o que é segurança pública antes de entender o que é, como funciona e como investir diretamente com o Tesouro.

O governo emite títulos de sua dívida para financiar seus gastos. Então, quando você recebe um título do governo, você se torna um credor do tesouro.

No entanto, tais negociações só fazem sentido se ambas as partes se beneficiarem.

Assim, no que diz respeito ao investidor, ele tem a garantia de que receberá o valor investido acrescido dos juros do período.

Por outro lado, os recursos arrecadados pelo governo no momento serão usados ​​para antecipar arrecadações mais altas no futuro (essas arrecadações mais altas permitirão que o governo pague o que toma emprestado e os juros).
Assim, para facilitar a captação de recursos e democratizar o uso desses ativos, o governo criou em 2002 o Tesouro Direto, programa que permite que pessoas físicas negociem títulos públicos.

Anteriormente, os títulos de dívida só podiam ser adquiridos por meio de fundos de investimento, que por sua vez adquiriam esses ativos de grandes bancos.

Agora que você já conhece os antecedentes da criação do Tesouro Direto, vamos explicar seu conceito e como funciona!

Oque seria o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa do tesouro estadual que permite que pessoas físicas (PFs) comprem e vendam títulos federais.

Além disso, o governo fez parceria com a bolsa de valores para criar o esquema e fornecer uma plataforma 100% online para as pessoas negociarem sem sair de casa.

A principal diferença é que oferece uma variedade de opções de títulos, com diferentes vencimentos e rendimentos, mas muito seguras.

Não só isso, mas o Tesouro também garante a recompra de quaisquer títulos a qualquer momento.

Assim, em vez de esperar até o vencimento para recuperar seu investimento, você poderá vender seus títulos para o próprio Tesouro antes do prazo.

Vale ressaltar também que o “a qualquer hora” está limitado ao horário de negociação da plataforma, que ocorre entre 9h30 e 18h00 em dias úteis.

Como realizar investimentos no Tesouro Direto?

O único requisito para investir em títulos de dívida por meio do Tesouro Direto é ter um fundo de previdência e uma conta bancária ou de corretagem.

Uma ótima opção é abrir uma conta na corretora Toro Investimentos, pois ela permite acessar todos os títulos públicos de forma simples e segura.

Depois disso, você pode investir pela plataforma própria da instituição (muito mais simples), ou pedir para ela criar um cadastro para você no site do Tesouro Direto e enviar os documentos necessários, permitindo que você se inscreva pelo site da TD.

Assim que terminar de se inscrever, basta transferir seu dinheiro para a corretora, esperar que ele caia e escolher os títulos que deseja comprar. Resumindo:

Registre-se diretamente no Ministério das Finanças;
transferir;
Encontre o título certo para você.
escolher quanto investir;
Invista na sua instituição cadastrada pelo portal ou pelo APP oficial do Tesouro Direto.
Mas calma, sabemos que você precisa de mais informações para escolher com segurança os títulos para investir.

Então, vamos explicar quais são os diferentes títulos federais.

Diferença entre cada um dos títulos do Tesouro Direto

Os Títulos Diretos do Tesouro dos EUA são divididos em taxa fixa e taxa flutuante.

A taxa de retorno de um ativo é fixada quando você sabe exatamente com antecedência sua taxa de retorno ao longo de todo o período.

Em taxas flutuantes, por outro lado, só sabemos de acordo com qual índice o ativo vai mudar, mas não podemos prever como esse índice vai mudar nesse período.

Nesse sentido, existem três tipos diferentes de títulos de dívida: dois de taxa flutuante e um de taxa fixa.
Tipos de dívida nacional
A seguir estão os diferentes tipos de Títulos Diretos do Tesouro:
Tesouro de prefixo;
A taxa de juro fixa das obrigações do tesouro é calculada semestralmente.
Os dois acima representam classes de prefixo.
Tesouro Selick;
IPCA + Ministério da Fazenda;
Há também o IPCA+ Ministério da Fazenda, que acumula juros semestralmente.
Tanto a Letra do Tesouro Selic quanto a Letra do Tesouro IPCA+ representam a categoria de taxa flutuante.
Como funciona cada dívida nacional
Tesouro de prefixo
Nesse título, você vai assinar uma taxa fixa que não muda ao longo do período, então você já sabe quanto vai ganhar no vencimento.

Tesouro Selick
Aqui, o rendimento varia de acordo com a taxa de juros da economia, que é definida regularmente pelo Copom.
IPCA+ Ministério da Fazenda
Os retornos variam de acordo com a taxa de inflação oficial do país (calculada pelo IBGE e divulgada mensalmente) e taxas de juros fixas.
Sim, este título tem uma pré e pós-parte que é adicionada para pagar o investidor.

TÍTULO RETORNO TAXA PAGAMENTO
Tesouro Selic Pós-fixado Selic No vencimento
Tesouro Prefixado Prefixado Taxa fixa No vencimento
Tesouro Prefixado com juros semestrais Prefixado Taxa fixa Semestralmente e no vencimento
Tesouro IPCA+ Pós-fixado IPCA No vencimento
Tesouro IPCA+ com juros semestrais Pós-fixado IPCA Semestralmente e no vencimento

No entanto, você deve estar se perguntando: e esses títulos de cupom semestral?

Igual a um título regular, exceto que todos os rendimentos do prazo serão pagos ao investidor ao final do período de 6 meses e registrados como saldo na corretora.

Se você quiser saber qual é a taxa de juros negociada dos títulos públicos no dia, confira o site do Tesouro Direto.

OK, agora é a hora de ajudá-lo a escolher um desses cinco títulos para sua carteira!

Qual título do Tesouro Direto escolher?

Simplificando, a escolha dos títulos depende de seus objetivos como investidor.

Dependendo de seus objetivos, você pode ter mais de um título diferente em seu portfólio.

Juros semestrais

Recomendado para quem acumulou uma riqueza considerável, não está interessado em rentabilizar o valor inicial pedido, e quer apenas uma renda regular para viajar ou mesmo cobrir as despesas do período.

Por outro lado, quem deseja manter esse tipo de investimento no longo prazo é melhor investir em títulos que não pagam juros semestrais, pois o efeito da composição aumenta com o tempo.

Neste ponto, podemos recorrer aos títulos, onde o valor do investimento inicial é pago no vencimento ou resgate.

Tesouro prefixado

Aconselham-se aqueles que acham que o Comitê de Política Monetária (Copom) pode cortar a taxa Selic em sua próxima reunião.

Além disso, é recomendado para quem deseja planejar bem e não quer correr o risco de o planejamento dar errado devido a mudanças nas taxas de juros.

Tesouro Selic

Ideal para investidores conservadores que não querem correr riscos de mercado e querem sempre atrelar sua renda aos juros, quer os juros subam ou desçam.

Tesouro IPCA+

Indicado para todos os investidores, pois o Brasil tem um histórico de inflação alta por toda parte, principalmente para quem acha que o índice vai subir.

Também podemos considerar aqueles que querem se proteger do aumento dos preços e aqueles que querem colocar seu dinheiro por um período maior de tempo (esses títulos têm vencimentos mais longos).

Simulador do Tesouro Direto

Você pode simular usando títulos e o site do Tesouro Direto, ou no Simulador de Investimentos Mobills.

Nele, você pode inserir as informações do seu aplicativo para saber quanto receberá durante um determinado período.

Principais características dos títulos

Embora seja possível investir com pouco dinheiro, há uma restrição: você não pode comprar títulos abaixo de 1% e/ou investir não menos que R$ 32,00.

Isso é importante porque quando você for comprar, você pode optar por comprar com base no percentual do título ou no valor do real. Em ambos os casos, os limites mínimos devem ser respeitados.

Além disso, há mais uma coisa a considerar ao resgatar um investimento.

O valor reivindicado resultará no valor acordado para todo o período em que você possui a propriedade, ou seja, se você retiver até o vencimento, receberá todos os rendimentos desse período.

No entanto, durante o mesmo período, o valor do título irá variar de acordo com a oferta e demanda dos investidores.

Isso significa que se você resgatar seu investimento antes do vencimento, o dinheiro que você receberá dependerá do preço do título naquele dia, ou seja, existe a possibilidade de perda.

Por exemplo, se o Copom definir uma taxa Selic de 4%, mas o mercado considerar que a taxa é muito baixa para o risco assumido, o título pode negociar a um preço menor para ajustar a taxa com base nas expectativas do mercado. .

Deve haver pulgas atrás das orelhas: risco? É arriscado pedir dinheiro emprestado ao governo?

Risco dos títulos públicos

Investir em títulos de dívida do governo é o ativo de investimento mais seguro porque em um país em crise, o próprio governo é o último a falhar.

Além disso, o governo federal tem o monopólio da impressão de dinheiro, para que possa imprimir mais dinheiro para você.

No entanto, um país não pode assumir uma dívida ilimitada.

Essa dívida tem um limite sustentável. Ele já ouviu até casos de inadimplência dos ministérios da Fazenda do Brasil e de outros países.

Portanto, apesar do pequeno tamanho do investimento, existem riscos associados ao investimento em títulos do governo.

Imposto de Renda no Tesouro Direto

Como nem tudo é fácil, você também precisará pagar impostos sobre sua renda.

Observação: os impostos serão cobrados apenas sobre a renda.

Mas quanto você vai pagar?

TEMPO COM O TÍTULO ALÍQUOTA
Até 180 dias 22,5%
De 180 a 360 dias 20%
De 360 a 720 dias 17,5%
A partir de 720 dias 15%

Para títulos de cupom semestral, você pagará IR sobre cada distribuição de renda e vencimento.

Além do imposto de renda, há também um imposto sobre transações financeiras.

Se você resgatar seu investimento antes de 30 dias, também pagará o IOF, que varia de 96% no primeiro dia a 3% no 29º dia.

No entanto, tenha certeza de que você não é obrigado a recolher o imposto, pois ele é retido na fonte.

Por fim, quero falar sobre o custo provável desse investimento.
custo direto de capital
Existem duas taxas principais: a taxa de custódia cobrada pela B3 (nossa bolsa) e a taxa cobrada pela própria corretora.

Nesse caso, a maioria das corretoras não cobra taxas para investir no Tesouro Direto, mas existe a possibilidade.

Por outro lado, a B3 cobra o equivalente a 0,25% ao ano semestralmente. No entanto, só cobra de pessoas com valores acima de 10.000 reais, e cobra apenas por excedentes.

Isso significa que se você investir 12.000 reais em títulos de dívida, você só precisa pagar 5,00 reais por ano para obter o valor de 2.000 reais.

Vale a pena investir no Tesouro Direto?

Os títulos federais são uma ótima opção de investimento, são seguros, rentáveis ​​e fáceis de entender.

Em tempos de crise, os títulos públicos proporcionam tranquilidade aos investidores que sabem que seus investimentos nesses ativos garantirão que suas carteiras não percam muito valor.

Além disso, é perfeito para investidores iniciantes que desejam monetizar seu capital sem correr riscos.

Então, considere esta opção de aplicativo para ver qual título é melhor para o seu perfil e faça um bom investimento!

Fontes: mobills.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.